compartilhar

Este trabalho é parte do esforço realizado para avaliar sistemas de produção e custos na cafeicultura brasileira, neste estágio tendo completado avaliações dos aspectos gerais das propriedades, no processo de acompanhamento, para levantar custos de formação, manutenção, colheita e processamento do café, na propriedade. A escolha das fazendas, assim como o acompanhamento e confecção dos formulários, ficaram a cargo das entidades parceiras neste trabalho Emater-MG, Cetcaf-ES, Emcaper-ES, IEA-SP e Deral-PR. Os dados de custo, ainda em fase de coleta e digitação, poderão ser apresentados, por ocasião do Simpósio. Análises conclusivas de competitividade serão possíveis, a partir da finalização dos levantamentos de colheita, com detalhamento da metodologia de fechamento da planilha. Neste estágio propõe-se apresentar e analisar a amostra de (83) cafeicultores acompanhados, suas características e principais fatores de competitividade.

Analisando-se neste estágio três conjuntos de informações colhidas e suas relações com produtividade, medida em área sob cultivo, nas propriedades cafeeiras estudadas:
• Aspectos gerais da propriedade – informações sócio-econômicas relevantes;
• Fatores fixos na propriedade – mão de obra; capital – giro e investimento; e patrimônio: máquinas, equipamentos e benfeitorias;
• Aspectos de qualidade e competitividade na comercialização.

A metodologia do estudo consiste de entrevistas formais junto aos cafeicultores, em visitas à propriedade, em fases críticas das operações. Foram elaborados quatro formulários de entrevistas:
Formulário 01–informações sobre os cafeicultores, seu negócio e sua administração, enfocando volumes de investimento e tecnologias de formação e produção, na propriedade e nos talhões;
Formulário 02–detalhamento das operações e despesas realizadas na manutenção do cafezal, no talhão selecionado;
Formulário 03–despesas com operações de colheita, pós-colheita e processamento – energia e transporte na propriedade;
Formulário 04–detalhamento das operações de formação do cafezal, no(s) talhão (ões) acompanhado (s).

Os resultados da amostragem, confirmam trabalhos anteriores e apontam a diferenciação da qualidade como uma forma de conseguir melhores resultados na venda do café. Os produtores que de alguma forma conseguiram levar mais de um único tipo de produto ao mercado, conseguiram maior valorização e tornaram-se mais competitivos.

Baixar Arquivo