Monitoramento da qualidade dos talhões: Você conhece o café de destaque da sua lavoura?

17.10.2019
Para conhecer o café destaque da sua lavoura é muito importante monitorar a qualidade dos talhões.Você já vez o mon

Para conhecer o café destaque da sua lavoura é muito importante monitorar a qualidade dos talhões.

Você já vez o monitoramento daquela variedade que todo ano te surpreende na bebida? Aquela que sempre se destaca nas notas, independentemente se fez sol, chuva ou vento, na degustação recebe uma super nota e ano a ano chama atenção de todos?

Se você conhece, já está um passo à frente. Mas se ainda não, busque e identifique o mais rápido possível essa variedade.

O produtor que não possui o histórico da qualidade dos talhões sai prejudicado quando falamos em qualidade de bebida. Portanto, conhecer e monitorar são atitudes essenciais do cafeicultor que almeja melhorar a qualidade da lavoura e da bebida.

Território, clima, microclima e variedade são fatores que estão ligados uns aos outros, e o produtor não tem controle sobre eles. Porém, se fizer o monitoramento, irá identificar quais são seus principais talhões com potencial em qualidade.

Já comentei sobre o tempo de maturação no conteúdo anterior (link), que é super importante, pois quanto maior a maturação do fruto, melhor será sua qualidade. Nesses anos que faço o monitoramento, percebi que certas variedades estão se destacando tanto no vigor da lavoura quanto na bebida, no aspecto e na peneira, ou seja, houve uma melhora geral.

Uma observação: não existe uma variedade específica, pode ser qualquer uma, independentemente da genética, do cruzamento ou da seleção. É como se a variedade tivesse se tornado nativa, ou seja, se adaptou e foi tão bem tratada que não parece ser uma espécie exótica, mas sim natural daquele território. Acredito que o cafeeiro, quando bem conduzido, entrega o seu melhor fruto!

Dicas para quem quer conhecer o talhão potencial da lavoura:

 15 dias antes da colheita, escolha os cafeeiros que estão com um percentual de grãos maduros e retire uma amostragem de 30 litros de cada talhão;

 Seque cada lote separadamente (sei que dá um pouco de trabalho, mas vai valer a pena!);

 Marque a variedade, quantidade de pés do talhão etc. Quanto mais informações sobre eles, mais rico se tornará o seu histórico;

 Após a seca dos lotes, acredito que no máximo 23 dias, já é possível ter uma amostra dos talhões e você poderá levar para um profissional provar e analisar a característica sensorial de cada lote.

Dessa forma, o cafeicultor saberá se pode misturar os lotes ou dar um pouco mais de atenção no terreiro, por exemplo.

Sei que cada ano tem sua peculiaridade, portanto o produtor que procura entender como funciona a planta, a monitora e age na hora certa com os tratos corretos, vai andar mais perto da qualidade.

Galeria

Veja Também

Clientes