Influência da aplicação de ácido bórico no controle da ferrugem do cafeeiro

11.11.2019 Autor: Carol Mendes Fonte: Luiz Otávio Moreira Viana
Sempre em busca de levar conhecimentos de interesse aos nossos leitores, abrimos espaço em nosso site para jovens colun

Sempre em busca de levar conhecimentos de interesse aos nossos leitores, abrimos espaço em nosso site para jovens colunistas, alunos universitários que realizam pesquisas inovadoras e de qualidade dentro do segmento cafeeiro. Nosso intuito é de contribuir com a evolução da cafeicultura e criar oportunidade para esses jovens.

O trabalho apresentado a seguir é do aluno Luiz Otávio Moreira Viana, que cursa o 5º período do Curso Superior de Tecnologia em Cafeicultura (IF Sul de Minas - Campus Muzambinho).

A ferrugem (Hemileia vastatrix) tem sido a principal enfermidade presente na cultura do cafeeiro, podendo causar, além de intensa desfolha na lavoura com consequente seca dos ramos produtivos, perdas na produtividade em até 40% quando não se adota nenhuma medida de controle na propriedade (ACUÑA et al., 1998). Além disso, a severidade da doença está relacionada diretamente a carga de frutos presente na planta, sendo que, em anos de alta produtividade, a infestação pode chegar a maiores níveis, o que requer um maior cuidado em relação ao controle racional da doença.

O micronutriente boro desempenha funções vitais na planta, atuando no crescimento, no processo de fecundação das flores, participa da divisão e crescimento celular e, em colaboração com o cálcio, na formação adequada da parede celular. Desse modo, o fornecimento de boro tem sido correlacionado com a severidade da infestação de algumas enfermidades, já que sua carência pode resultar em uma má formação da parede celular, fazendo com que a presença de doenças se torne mais expressiva.

Atualmente, a aplicação de fungicidas via solo para o manejo da ferrugem do cafeeiro tem se tornado uma prática comum nas propriedades cafeeiras, justamente pela maior facilidade, rendimento e pela melhor eficiência dos produtos de ação sistêmica na planta. Como a época de controle de doenças e do fornecimento de boro coincidem, associar a aplicação de fungicidas com esse micronutriente, além de aumentar a eficiência no controle da ferrugem, se torna uma opção economicamente viável na redução do custo com mão-de-obra para aplicação.

O presente trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos do ácido bórico associado ao Flutriafol no controle da ferrugem do cafeeiro em uma lavoura de Catuaí Vermelho IAC 144, usando-se a dosagem de acordo com a recomendação do fabricante (5 L/ha) em associação ao ácido bórico (40g/L de água), sendo a aplicação feita via drench. Em outra área realizou-se a aplicação de ácido bórico de forma sólida na dosagem de 11 kg/ha, definida a partir da análise de solo. Após 120 dias da aplicação, realizou-se um controle complementar para a ferrugem com aplicação foliar de Priori Xtra na dose de 500 mL/ha.

O controle associado ao ácido bórico possibilitou uma redução no número de aplicações, visto que proporcionou 82 a 90 dias sem uma infestação superior a 5% (sendo esse o nível de controle para ferrugem), enquanto que na área onde não foi realizada nenhuma aplicação foram apenas 59 dias sem ocorrer a infestação das plantas. Na área onde se realizou a aplicação do ácido bórico na forma sólida e sem associação ao fungicida, observou-se um maior tempo para a ferrugem atingir o nível de controle, sendo o resultado semelhante nas áreas em que se utilizou o fungicida.

Por esses resultados é possível dizer que o boro, quando aplicado em associação ou não a produtos fungicidas, reduz de forma eficiente a incidência da ferrugem do cafeeiro, com semelhança ao controle químico. Além disso, quando se associa a produtos químicos pode promover uma menor infestação das plantas, além de reduzir custos com aplicação, uma vez que  em uma só operação pode ser realizada a aplicação do boro e do fungicida via solo no cafeeiro.

Dica do Guy: As condições climáticas para o desenvolvimento da ferrugem são alta umidade e calor, e sua incidência em anos como este é a partir de novembro. O manejo de controle contra a ferrugem deve ser preventivo e realizado, entre outras formas, por meio da aplicação de fungicidas via solo entre novembro e dezembro. É importante incluir uma fonte com o micronutriente boro nesse momento para aproveitar a aplicação, uma vez que comprovadamente auxilia na diminuição da infestação da doença, além de nutrir as plantas. Consulte o seu técnico de confiança e utilize os EPIs corretamente.

Referências bibliográficas:

MARCOM, J. A.; GOULART, R. R.; COSTA, L. R. S. P.; REIS, L. O.; GUIMARÃES, F. A.; ZAVAGLI, G. P. Controle da ferrugem do cafeeiro com flutriafol associado a ácido bórico sob diferentes formas de aplicação. 11ª Jornada Científica e Tecnológia do IFSULDEMINAS e 8º Simpósio de Pós-Graduação. Câmpus Inconfidentes, Novembro de 2019.

Trabalhos Acadêmicos:

GOULART, R. R. et al. Aplicação de fungicidas via drench e via foliar associado a ácido bórico no controle da ferrugem e cercosporiose e desenvolvimento do cafeeiro (Coffea arabica). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISAS CAFEEIRAS, 43., 2017, Poços de Caldas. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2017. (1 CD-ROM), 2 p.

Galeria

Veja Também

Clientes