Um ano especial para os cafés especiais de Cabo Verde/MG

09.02.2022 Autor: Administrador Fonte: Mateus Corsini Caixeta
Na safra 20/21, os cafeicultores de Cabo Verde alcançaram excelentes resultados em concursos

Todo trabalho quando bem-feito, envolvendo dedicação e amor principalmente, mostra bons resultados. Essa experiência foi vivida pelos cafeicultores de Cabo Verde/MG na safra 20/21, que alcançaram excelentes resultados mostrando ao mundo o potencial de seus cafés especiais, claro, após muito trabalho. Foi um ano, assim como os cafés, especial, onde os pódios dos concursos de qualidade regionais foram ocupados pelos grãos cabo-verdenses.

Para a cafeicultura em geral, a safra que se encerrou foi muito complicada, muitos produtores sofreram grandes prejuízos principalmente devido às intempéries climáticas, pois passamos por dois longos períodos de estiagem e uma forte geada, como a muitos anos não se via. Mas isso não abalou os produtores dos grãos especiais, que viram aí ainda mais necessidade de fazer um produto de qualidade, agregando mais valor à sua produção e trazendo a sustentabilidade de suas propriedades.

O primeiro sucesso veio com a resultado do 8° Concurso de Qualidade dos Cafés de Cabo Verde, organizado pela ASSPROCAFE (Associação de Produtores de Cafés Especiais de Cabo Verde-MG) em parceria com a EMATER-MG, em que foram recebidas 57 amostras e a nota de corte de classificação dos finalistas foi de impressionantes 86 pontos. Uma pontuação altíssima, enchendo de orgulho os organizadores e de alegria os participantes. Nesse evento, tivemos como campeão da Categoria Cereja Descascado o café de produtor Henrique Palma Neto, com a pontuação de 88,5, e o café da produtora Júlia de Souza Viana recebendo 86,75 pontos como campeão da categoria Natural.

E os feitos não pararam por aí! A COOXUPE, maior cooperativa de cafeicultores do mundo, organizou este ano mais uma edição do Especialíssimo, seu concurso interno de qualidade de cafés. Na oportunidade, recebeu 1203 lotes e, dentre todos, o 7° foi um cabo-verdense, do produtor Marcelo Vinícius Martins, que recebeu suas merecidas gratificações.

Outra boa conquista foi no 1° Concurso de Cafés do Terroir da Região Vulcânica, onde tivemos a produtora Júlia de Souza Viana conquistando o 3° lugar na Categoria Natural, o produtor Ivan Carlos Santana conquistando o 4° lugar e o produtor Deneval Pereira da Silva conquistando o 10° lugar, ambos na categoria Cereja Descascado. Esses cafés tiveram a oportunidade de serem apresentados e degustados pela Associação dos Cafés da Região Vulcânica na Semana Internacional do Café (SIC), o maior evento da cafeicultura mundial.

No concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais, organizado pela EMATER-MG e este ano em sua 18ª Edição, Cabo Verde conseguiu classificar 13 amostras na segunda etapa na região Sul de Minas, sendo o município dessa região com o maior número de amostras classificadas.

E a cereja do bolo veio com a divulgação do resultado final do 5º Cupping de Cafés Especiais do Programa de Assistência Técnica e Gerencial - ATeG Café+Forte, do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, um concurso de âmbito estadual e que recebe muitas amostras. Para a felicidade dos nossos produtores, os três primeiros colocados da Categoria Cereja Descascado para a região Sul de Minas foram cafés de Cabo Verde, sendo o 1° colocado: produtor Jucemar Alves Moreira, o 2° colocado: produtor Antônio Palma e o 3° Daniel de Souza Reis.

Os resultados alcançados são frutos de trabalho duro e de longo prazo. Os conhecimentos e as técnicas para se produzir um café especial são únicos em cada propriedade, tanto que cada café é singular e não existe uma receita pronta, é necessário dedicação e incentivo. E, por sorte, os produtores de Cabo Verde contam com grandes incentivadores e cito aqui principalmente a ASSPROCAFE, que desde a sua fundação enxergou o potencial dos cafés desse município e vem incentivando incansavelmente seus associados e os demais produtores a voltarem seus olhares para a qualidade dos cafés.

Um café especial nada mais é que um grão de qualidade, que passou por processos especiais, feito por pessoas especiais. Pessoas essas que enxergam além dos demais, que trabalham duro na expectativa de levar um sabor inesquecível a quem se delicia com uma boa xícara de café. Uma boa xícara de um café especial de Cabo Verde, é claro.


Autor: Mateus Corsini Caixeta

Extensionista Agropecuário da Emater-MG de Cabo Verde

Galeria

Veja Também

Clientes