Broca - Saiba Como Lidar Com Este Problema e Evite Prejuízos

27.08.2017 Autor: Guy Carvalho Fonte: Papo de Cafeicultor
Broca - Saiba Como Lidar Com Este Problema e Evite Prejuízos

Amigos cafeicultores, nesses episódios vamos falar um pouco sobre a incidência da broca no café. Essa praga vem preocupando muito os cafeicultores brasileiros, principalmente com a retirada do mercado o produto endosulfan que era o mais utilizado para seu controle. Para isso, nós vamos dar algumas dicas, vamos conversar com os produtores e com os pesquisadores e trazer novas sugestões de como conviver melhor com a praga.

Para conferir os problemas que a broca causa, nós trouxemos uma amostra aqui nesse laboratório e vamos conversar com o pesquisador Mateus Prado que vai nos mostrar o dano da broca no café.

- Mateus Prado: Aqui a gente classifica a amostra em 100 gramas e fazemos a porcentagem de broca nos grãos e não podemos exportar, já que não tem aplicação para ele no mercado exterior. Esse lote que você nos trouxe Guy realmente apresenta muito problema. O produtor precisa prestar atenção de onde que ele veio e qual o seu talhão de origem para tentar eliminar o problema para os próximos anos. Esses grãos não podem ser exportado e vão ser passado para uma máquina de rebenefício e ele irá aumentar a porcentagem dos cafés que não são de boa qualidade.

Viemos até a Fazenda Passeio em Monte Belo, MG, uma referência na produção de cafés de grãos especiais e que vem apresentando baixo índice de broca. Vamos ver o que o produtor faz de diferente para servir de dica para os demais produtores.

Agora vamos falar com o proprietário da Fazenda Passeio, Adolfo Henrique Vieira Ferreira.

- Guy: Adolfo, o que você tem feito para conviver com esse problema?

- Adolfo: Nós estamos em um período de transição muito complicado e que restou para o produtor é investir no manejo correto para minimizar a condição ideal de ataque da broca. 

- Guy: Isso quer dizer uma varrição bem-feita?

- Adolfo: Sim, nós podemos dizer que com uma varrição bem-feita, aqui na fazenda, por exemplo, nós varremos 100% da área e algumas áreas varremos até duas vezes e lançamos muito a mão de monitoramentos para mapiarmos os setores mais afetados.

Agora vamos falar com o técnico agrícola da Fazenda Passeio que é o Thiago Marques.

- Guy: Thiago, como é feito o monitoramento?

- Tiago: Nós fazemos o monitoramento de todas as glebas da fazenda e com maior atenção nos lugares onde sabemos que há uma maior incidência da broca. Depois do monitoramento em mãos, nós tomamos a atitude para corrigir o erro da broca.

Recentemente, tive uma conversa com o amigo pesquisador Rodolfo San Juan e ele comenta algo muito interessante sobre a broca.

- Guy: O caminho agora que nós temos no futuro é conhecer a praga, monitorar e dar o tiro certo com o produto registrado e correto?

- Rodolfo: Justamente Guy, esse é o ponto. Os melhores resultados estão entre os 100 dias da florada do café principal até um pouco adiante, a broca ainda não se estabelece devido a uma série de fatores, como a umidade. Ela fura, mas ainda não da postura. Nesse momento, nós temos a população de broca em transe, ou seja, "passeando sobre o café” sem estar dentro dos frutos. Mas, desde que se tem a praga, uma história de doenças no talhão. Nós temos um inverno favorável, umidade e monitorou e começou a aparecer a broca, dezembro no máximo em janeiro, nossa experiência nos diz que há é a hora de fazer a primeira aplicação. Fez a primeira, espere entre 30 a 50 dias para repetir uma segunda pulverização se você perceber que a manifestação está aumentando. Aumentou, faça uma segunda aplicação que você terá um controle muito satisfatório e você irá pegar a broca antes de entrar no fruto.

Fomos em outra fazenda, dessa vez em Conceição da Aparecida, MG, conversar como o Venerando, proprietário das Fazendas Vera Cruz e Monte Verde, e o Donizete Aparecido, Gerente Agrícola das Fazendas Vera Cruz e Monte Verde, para saber o que estão fazendo com o problema da broca.

- Donizete Aparecido: O lugar que acreditamos que tem mais broca são bem marcadas, os lugares que há café no chão fazemos uma varrição bem-feita para não termos problema de brocas

- Guy: Depois continua monitorando?

- Donizete Aparecido: Monitoramos.

- Guy; Venerando?

- Venerando: O que o Zetinho acabou de falar é exatamente o que fazemos aqui. Um monitoramento muito rígido, com uma varrição bem-feita e olhamos os lugares onde há maior número de brocas. Depois que houve a retirada do endosulfan, esse problema ficou muito sério. Essas informações queremos que se estenda para os vizinhos para evitar a proliferação.

Fica a dica, enquanto não surgir novos produtos mais eficientes, economicamente mais viáveis, menos tóxicos, o produtor deve fazer o seu dever de casa que é mapear os talhões que estão tendo ocorrência de broca. Nesses talhões varrer, independente se tem ou não resultados financeiros, recolhendo o máximo de grãos possíveis para evitar a recontaminação. Depois da florada, nas épocas de transe, monitorar e saber onde está havendo a reinfestação para fazer o controle na hora certa com defensivos registrados e seguindo a orientação do seu técnico de confiança.

Obrigado pela atenção se inscreva em nosso canal e continue acompanhando os vídeos.

 

 https://www.youtube.com/channel/UCOiqRHgcHXlSHmUsS-3LjNA/videos

 





Galeria

Veja Também

Clientes