Pulverização Aérea do Cafeeiro

26.02.2018 Autor: Guy Carvalho Fonte: Papo de Cafeicultor
Pulverização Aérea do Cafeeiro

Amigos cafeicultores, hoje nós iremos falar sobre aplicação aérea com avião e com helicóptero. Primeiro nós iremos mostrar aplicação de avião indicada para terrenos mais planos. 

Como vocês podem ver nessas imagens da câmera acoplada no avião, a aplicação é rápida e eficiência. Mas, vamos voltar um pouco no tempo para mostrar esse procedimento desde o início, quando o avião ainda estava no solo.

Antes de decolar, o piloto Marcelo Ferreira, falou sobre os critérios a serem observados para uma aplicação mais eficiente.

- Marcelo Ferreira: A temperatura e o vento também. Na temperatura, nós procuramos aplicar abaixo de 32ºC e com ventos de até 12 Km/hora. O horário que costumamos trabalhar é na parte da manhã, até umas 9 horas, ou se o dia estiver nublado nós conseguimos trabalhar até um pouco mais tarde e a tarde, por volta das 5 horas. Com isso, você terá uma eficácia superior e uma aplicação muito boa.

O colega Engenheiro Agrônomo, Marco Antônio, do grupo Grão de Ouro, responsável pelo laboratório móvel Ouro Tech, fez a avaliação da eficiência na aplicação.

- Marco Antônio: A aplicação aérea vem se destacando bastante na lavoura de café. Ela já vem bastante difundia nas lavoras de cereais e está mostrando muito viável nessas regiões. Ela possui os seus pontos positivos em relação terrestre com o trator e pontos negativos também. Mas é uma tecnologia que auxilia muito os cafeicultores por conta de vários parâmetros. Como rendimento, maior agilidade e custo. Desde que bem posicionada no time certo e na maneira correta, nós conseguimos ter bons resultados.

Seja com avião, helicóptero ou até drone, Marco Antônio destaca que tão importante quanto a aeronave os parâmetros técnicos. Privando pela qualidade da aplicação.

- Marco Antônio: Vários fatores influenciam, por exemplo, largura da faixa de aplicação. Ela deve ser coerente com a altura da aeronave, ou seja, não dá para voar muito alto para buscar uma faixa muito larga. Nós temos que buscar uma coerência, um equilíbrio de altura e largura de faixa para ter uma sobreposição e não ficar falhas na lavoura. Outro fator é o tamanho de gostas e o uso de produtos que vão ajudar as gostas até atingir o alvo. Estou falando de um avião que está voando em torno de 5 ou 6 metros da superfície do café a 200 Km/hora. Então nós temos que ter muita atenção de manter essas gotas "vivas" até o alvo.

O agrônomo destaca outros pontos fundamentais para uma boa aplicação aérea.

- Marco Antônio: O clima interfere muito. Então temos que ficar atento na temperatura, vento e umidade relativa buscando parâmetros ideais. O grande segredo da aplicação é fazer no momento certo e atingir o alvo. Se está fazendo a aplicação no momento certo e está atingindo o alvo, nós temos condições de ter bom retorno.

Marco Antônio enfatiza sobre as condições climáticas que devem ser tomadas no momento da aplicação.

- Marco Antônio: Altas temperaturas aceleram a evaporação das gotas. Muitas gotas, chamadas finas, que são ideais elas evaporam em certas condições de temperaturas e não atingem o alvo.

- Guy Carvalho: Quer dizer, temos que aplicar no início da manhã e no final da tarde?

- Marco Antônio: Com certeza. Desde de manhã, observando os parâmetros técnicos, por exemplo, se não há muito orvalho, temperatura e umidade relativa. Já no final da tarde, temos que tomar cuidado com um fenômeno que se chama Inversão Térmica que pode prejudicar as gostas atingirem o alvo.

Em relação aos produtos utilizados na aplicação aérea, o colega destaca;

- Marco Antônio: Deve seguir rigorosamente as normas vigentes no país, utilizando produtos registrados e respeitando os limites de aplicação nas áreas próximas. Agora falando na qualidade da aplicação, é fundamental utilizar um coadjuvante de boa qualidade que irá reduzir espuma, diminuído o ponto de ebulição, trazer melhores condições de estabilidade química da calda e melhorar o espalhamento das gotas na superfície da folha.

Marco Antônio convida os amigos cafeicultores a conhecerem melhor a Ouro Tech que atende todos os tipos de aplicação de defensivo. Seja ela aérea, tratorizada ou mesmo manual. Tudo para garantir a proteção humana e a eficiência na aplicação.

- Marco Antônio: Amigos cafeicultores que acompanham o canal Papo de Cafeicultor, nós queremos fazer um convite. Nós da Grão de Ouro teremos a honra de apresentar o nosso trabalho a vocês e de poder contribuir no progresso e na sustentabilidade da cafeicultura.

Joseane Moraes, administradora da Fazenda Santa Cruz, na qual fizemos essas imagens, explica o que levou a optar pela aplicação aérea.

- Joseane Moraes: Já estamos há 4 anos trabalhando com pulverização aérea. A vantagem dessa aplicação é atender a doença na hora que ela se instala na lavoura. Por exemplo, há duas semanas nós notamos que a ferrugem começou a subir rapidamente na lavoura. O avião chegou aqui ontem a tarde e agora ele já terminou toda a aplicação na Fazenda com 384 hectares de café. É bom acompanhar a vazão de como fica o trabalho na lavoura e também é bom acompanhar o custo de como fica o trabalho feito em trator mecanizado.

 Em outra fazenda, fomos conferir a aplicação aérea por meio de helicóptero que é mais indicada para terrenos montanhosos. Falamos com o agrônomo responsável, meu colega e amigo Carlos Carvalho que pontuou o motivo de optar por essa aplicação.

- Carlos Carvalho: Então resolvemos esse ano começar um projeto piloto de pulverização aérea. Nós acreditamos que iremos ter um bom resultado, já que está bem distribuído e estamos fazendo no momento exato.

Fale com o seu Engenheiro Agrônomo de confiança e conheça melhor essa tecnologia que é uma tendência para outros cultivos e também para a cafeicultura.

Obrigado por assistir esse episódio e convido vocês a assistirem os demais e também a se inscrever em nosso canal.


Galeria

Veja Também

Clientes