O Maior do Mundo: Sistema de Processamento Sustentável de Café Especial

30.05.2018 Autor: Guy Carvalho Fonte: Papo de Cafeicultor
O Maior do Mundo: Sistema de Processamento Sustentável de Café Especial

Amigos cafeicultores, estamos aqui na Fazenda Pinheiros do Grupo 7 Cachoeiras do munícipio de Campos Gerais e viemos para o lançamento da maior estrutura sustentável de cafés especiais do mundo. Nós temos o despolpador que não utilizar água, toda energia utilizada na fazenda é produzida na própria fazenda e mais uma novidade um lavador de varrição que também não utiliza água. Nós vamos ver todos os detalhes aqui nessa fazenda onde nós já estivemos com os nossos assistidos na semana passada. Hoje vamos mostrar detalhe por detalhe e estamos aqui com Palini, Carlos e do Alemão e eles irão contar na prática como está funcionando.

Abaixo, segue uma conversa que tive com Carlos Roberto Palini, Sócio Fundador da Palini & Alves.

- Guy Carvalho: Palini há mais de 20 anos eu comecei a compra os seus despolpadores, na época 6.000 litros. Agora, estamos diante de uma usina para 40.000 litros e sem gastar água.

- Palini: Guy, você está presenciando tudo isso. Você vê que a evolução é tão grande. Além da mudança de 6.000 litros para 40.000 litros, não utilizamos água.

- Guy Carvalho: Isso é fantástico.

- Palini: Sem dúvida.

- Guy Carvalho: Muitos produtores que não podia despolpar, agora pode com essa tecnologia.

- Palini: Qualquer produtor pode despolpar café hoje.

- Guy Carvalho: Palini, eu queria que você comentasse também sobre a outra inovação que você trouxe para o lançamento. Que é o lavador de café de varrição que não usa água.

- Palini: Não usa água. Nós chamamos de café de varrição via seca, lavagem seco. O que seria lavagem seco? É uma peneira separador de folhas, pau e terra. Aí ela passar por um catador de pedra, flutuar e depois separando o café dos resíduos.

- Guy Carvalho: Entendi. Aí mão levando água, vai direto para o terreiro e seca rápido.

- Palini: Perfeitamente. O café não volta mais na água e ele pode ter uma ótima bebida.

- Guy Carvalho: Com certeza deve contribuir para a qualidade dele também.

- Palini: Sem dúvida.

- Guy Carvalho: O que nós estamos vendo aqui é a preocupação que percebo da Palini com essa questão do meio-ambiente da sustentabilidade, além da qualidade do café. É isso mesmo Palini?

- Palini: O mundo parte para a evolução, para melhorias e é o que a Palini & Alves está fazendo. Sem a melhoria de qualquer investimento, você hoje não sobrevive mais.

- Guy Carvalho: Sem dúvida, essa questão com a preocupação da água com a energia.

- Palini: Sem dúvida e é o que está sendo instalado na primeira fazenda.

- Guy Carvalho: Muito bom. Está sendo um modelo para as outras. Eu vou te cumprimentar em nome de toda a sua equipa da Palini. Eu acho que vocês estão contribuindo com a produção de cafés especiais no Brasil. Parabéns e vou acompanhar o dia todo com vocês.

Abaixo, segue algumas observações feita por Carlos Henrique Palini, Diretor Comercial Palini & Alves.

- Carlos Henrique: Como o próprio Guy já disse para a gente, hoje nós estamos apresentando um dos projetos mais inovadores e sustentáveis para o processamento de cafés especiais do mundo. Inovador porque temos tecnologias utilizadas no projeto, tanto de sustentabilidade quanto mecânicas. Além disso, é um projeto totalmente flexível no sentido de operação. Nesse projeto você pode fazer o processamento dos três tipos de cafés - cereja, verde e boia - tudo simultâneo e com a grande vantagem que é zero de água. Nossos descascadores, o Ecozero, são os únicos do mercado nacional que realmente não utiliza água no processamento do café. Outra flexibilidade desses equipamentos é que temos ele em três versões: 3.000 litros. 6.000 litros e 12.000 litros. Então, ele atende todo o tipo de produtor, desde o pequeno ao grande produtor.

Segue uma conversa que tive com Antônio Donizete, Alemão, Gerente de Qualidade e Desenvolvimento Palini.

- Guy Carvalho: Alemão, aquele dia fomos até a fábrica e você mostrou todos os detalhes desse despolpador. Hoje estamos aqui na prática, no lançamento dessa máquina que parece funcionar muito bem.

- Alemão: Isso mesmo Guy, hoje estamos aqui para ver e comprovar o despolpador 100% sem água. Despolpando 100% sem água com todo o equipamento maior de via úmida do Sul de Minas.

- Guy Carvalho: Quanto que essa usina tem de capacitação?

- Alemão: Ela tem 40.000 litros por hora. Ontem, no período que ela trabalhou, descascou 6.000 alqueires.

- Guy Carvalho: 6.000 medidas de café?

- Alemão: 6.000 medidas de café em 15 horas.

- Guy Carvalho: Muito bom, parabéns Alemão. Funciona mesmo.

- Alemão: Hoje, nós iremos ver o sistema de café por lavagem a seco. Lavador sem água.

- Guy Carvalho: Ah, sim!

- Alemão: O que café de chão, passado no lavador, mas sem água.

- Guy Carvalho: Está funcionando bem?

- Alemão: Sim, foi comprovado, tudo testado e tudo rodando.

- Guy Carvalho: Muito bem. Mais uma vez parabéns para você e toda equipe da Palini.

Estamos aqui com João Paulo da Federação dos Cafeicultores do Serrado que veio com um grupo de cafeicultores de lá para conhecer essa estrutura sustentável de produção de cafés especiais.

- Guy Carvalho: João Paulo, o que você está achando?

- João Paulo: Achamos muito bacana Guy. O pessoal da Palini fez esse convite para a gente vir conhecer essa estrutura montada aqui no Sul de Minas. Cada dia mais o mercado procura um café produzido de maneira sustentável e o produtor tem que estar atento a isso. Então, a gente veio conhecer essa estrutura que funciona com menos água e além disso, funcionando com energia solar. Estamos olhando, vendo como funciona e quem sabe levar algo parecido lá para o Serrado.

- Guy Carvalho: Helder - Analista de Mercado Cafeeiro - , você veio de Angola e está conhecendo uma estrutura de preparo de cafés especiais sustentável. Você está gostando?

- Helder: Muito, vim prestigiar o evento que deixou de ser brasileiro para ser internacional. Acho que essa estrutura sustentável é o futuro. Tecnologias como essa em países como a África é o futuro.

- Guy Carvalho: É um modelo que pode funcionar.

- Helder: Pode funcionar e deve funcionar.

No tur que fizemos no início de maio, visitamos a estrutura de pós colheita da Fazenda Pinheiros do Grupo 7 Cachoeiras em Campos Gerais. Nosso grupo composto por meus assistidos, convidados, professores e alunos do Instituto Federal do Sul de Minas, Campos Muzambinho, conhecemos de primeira mão todo o funcionamento da usina.

Além disso, pude conversar com os proprietários que são pioneiros nesse modelo sustentável de produção de cafés especiais.

- Marcelo Renato Brito, Cafeicultor Fazenda Pinheiros 7 Cachoeiras: O investimento da área via úmida e desde os secadores de café, nos proporciona maximizar a produção de café cereja descascado que é o café mais bem remunerado no mercado. Com isso, nós estamos agregando resultado em nossa produção. Resultado econômico. Nós também investimos na produção de energia solar. A energia solar, o retorno é imediato.

- Renato Brito, Cafeicultor Fazenda Pinheiros 7 Cachoeiras: A gente já tinha equipamentos Palini, mas com a evolução da tecnologia como um todo - dos concorrentes também - nós conseguimos dar um salto no descascamento. Nós continuamos com eles, além da parceria, do pós-venda e principalmente da tecnologia que eles conseguiram atingir. A gente já descasca há anos. Nós temos um processo de cereja descascado, do passa descascado e do verde descascado. Essa já é a forma que nós trabalhamos. Então, nós desmontamos nossa estrutura em agosto de 2017 e nesses 8 e 9 meses construímos essa parte nova.

Todos os participantes ficaram muito impressionados e muito interessado com as novas tecnologias.

- Jorge José Menezes, Degustador de Cafés: Nós temos percebido que cada ano que passa, o produtor tem percebido que é preciso inovar, para que ele realmente possa ter a qualidade no produto final.

- Josiani Moraes, Proprietária e Administradora Fazenda Santa Cruz: É o que a gente já tinha falado. O produtor tem que sair da porteira para fora e ir buscar inovação porque há tecnologia para adaptar tanto para o pequeno produtor como para o grande produtor. É o que estamos vendo aqui. As placas de energia, conversando com o distribuidor, ele me disse que são adaptadas para qualquer tamanho de propriedade. Os lavadouros da Palini & Alves vem trazendo mais essa opção para o proprietário rural tanto para o grande quanto para o pequeno que busca economia de água. Muito bom e fiquei muito feliz de conhecer essa estrutura. São coisas que nós estamos buscando para a nossa propriedade e espero que tenha colaborado com o pessoal.

- Adolfo Henrique Vieira Ferreira, Cafeicultor - Produtor de Cafés Especiais: Tivemos uma oportunidade de ver coisas aqui hoje que até pouco tempo atrás era inimaginável para a gente. O interessante mais ainda é que é uma tecnologia que traz mais sustentabilidade para o nosso negócio. Nós vimos preparador de café por varrição que não usa água, vimos placas de energia solar gerando a própria energia da fazenda e despolpador que não usa água. Então, são tecnologias muito inovadora e com alto grau de sustentabilidade. O mais importante, já está disponível para todo produtor.

Galeria

Veja Também

Clientes