Broca-do-cafeeiro: momento certo para a realização do controle

27.11.2018 Autor: Guy Carvalho Fonte:
O monitoramento é a principal ferramenta para auxiliar o produtor na decisão de iniciar o controle utilizando defensivo

Amigos cafeicultores, para dar continuidade ao trabalho de conscientização e orientação aos produtores sobre esta importante praga da cultura do café, trago este conteúdo com informações importantes sobre a broca e o período de trânsito. 


A praga

  • A broca é um pequeno besouro que se alimenta exclusivamente dos frutos do cafeeiro, se multiplicando e sobrevivendo dentro dos grãos.
  • Seu ciclo de vida é rápido, ocorrendo a cada cerca de 28 dias (ovos, larvas, pupas e adultos).
  • Os prejuízos que traz para a lavoura são muito significativos, tanto na qualidade como no valor pago ao café. Entre eles, destacam-se:

- Apodrecimento da semente e queda precoce dos frutos;

- Contaminação por micro-organismos prejudiciais à qualidade;

- Perda de peso com aumento de grãos quebrados e escolha.

  • A ocorrência depende das condições climáticas e dos grãos remanescentes da safra anterior.


Controle

  • A colheita bem-feita é a principal medida de proteção a ser efetuada.
  • O índice apontado no monitoramento é apenas uma referencia e deverá ser somado a outras informações, como histórico de ocorrência da praga na lavoura, quantidade de grãos remanescentes, entre outras. O importante é o acompanhamento constante para que, caso seja necessário, ações sejam realizadas corretamente e a aplicação do defensivo ocorra na hora certa. É importante iniciar o controle com 1 a 2% de infestação. O produtor não deve aguardar ou deixar que o índice de contaminação ultrapasse os 3%, que para muitos ainda é a referência.


Período de trânsito 

  • Se caracteriza pela saída da broca no estágio adultos dos frutos infectados da safra anterior para perfurar os novos frutos da safra seguinte que já estão expandidos para começar a perfurá-los.
  • É o principal período para o controle da praga, pois é onde o besouro fica mais exposto, uma vez que eles perfuram diversos grãos e ficam aguardando as fêmeas colocarem os ovos.
  • As fêmeas aguardam o final da fase de expansão rápida dos frutos para colocar os ovos, o que ocorre a partir de 90 dias após a florada, momento em que o grão começa a endurecer. 
  • A aplicação do defensivo, caso seja necessário, deverá ocorrer de 90 a 140 dias, início da fase de granação dos frutos. Essa é a ocasião adequada para monitorar, uma vez que essa ação é a principal ferramenta para auxiliar o produtor na decisão de iniciar o controle utilizando defensivo. 
  • Vale ressaltar que o trânsito da broca pode ocorrer em períodos diferentes dependendo da localização do talhão, variedade etc, por isso é importante ter um olhar atento sobre toda a lavoura.
  • No caso da broca, podemos ter reinfestação por ovoposição de adultos vindos de frutos novos ou vindos de frutos remanescentes, por isso o acompanhamento da área é tão importante. 
  • O produtor precisa conhecer o perfil da infestação e não pode perder o período em que a broca está mais exposta para agir. 
  • Vale ressaltar que este ano, como tivemos florada em setembro, outubro e novembro, o monitoramento deverá ser feito até mais tarde. 


Ao escolher o defensivo a ser utilizado no controle da broca, o produtor deve estar atento a algumas características:

  • Eficiência no controle.
  • Se o produto possui registro no MAPA para uso na cultura.
  • Possuir boa relação custo/benefício.
  • Causar o menor impacto possível ao meio ambiente e não eliminar inimigos naturais, abelhas etc.


Opções de defensivos registrados:

Vou destacar o Verismo da Basf, principal parceira do Canal Papo de Cafeicultor na difusão de conhecimentos quando o assunto é a broca-do-cafeeiro.

  • Temos, nos últimos anos, procurado um produto eficiente, de menor impacto ao meio ambiente e viável do ponto de vista econômico. 
  • Testamos o Verismo em algumas lavouras e alcançamos bons resultados com um nível de controle satisfatório. 
  • Alguns ensaios de campo conduzido por outros colegas mostraram maior eficiência do Verismo no controle da broca quando comparado a outros defensivos disponíveis no mercado, inclusive as novas moléculas. 
  • O Verismo age no sistema nervoso da praga, paralisando sua atividade, o que causa morte por inanição. A primeira ação do produto é diminuir a ovoposição das fêmeas. 
  • Outra característica do produto é seu aspecto residual, o que faz com que sua ação seja mais efetiva pelo fato da broca ser uma praga que se expõe pouco. 
  • Além disso, não possui ação sobre outros insetos (abelhas e outros inimigos naturais), o que caracteriza controle somente para a broca e não causa nenhum desequilíbrio. 
  • Chamo mais uma vez a atenção do cafeicultor: tão importante como a eficiência do produto é a mudança de postura do produtor, que deve ficar mais atento, monitorar corretamente, iniciar o controle na hora certa (no início da infestação) e repetir a aplicação, caso necessário, após 30 dias. 
  • Consulte um colega para maiores detalhes sobre a aplicação e emita o receituário agronômico. 
  • Siga rigorosamente as instruções contidas na bula e na receita e utilize os epis necessários.


Confira os vídeos onde pude conversar com o experiente colega Pedro Mendonça da Basf e confira mais detalhes sobre a broca e seu controle.

Período de transito da broca-do-café: https://www.youtube.com/watch?v=cDlXSfK9lwM


Opção de controle eficiente para broca-do-café: https://www.youtube.com/watch?v=X48Zfbum7bU&feature=youtu.be

Galeria

Veja Também

Clientes