Poda do cafeeiro

10.02.2020 Autor: Dra Paula Santini Fonte: Dra Paula Santini
O tipo de poda deve sempre visar a recuperação da parte vegetativa e produtiva do cafeeiro

Existem muitos tipos de poda que podem ser aplicadas no cafeeiro. A tomada de decisão de qual deve ser feita depende da necessidade da lavoura, idade, tipo de cultivar e estande de plantas, visando sempre a recuperação da parte vegetativa e produtiva do cafeeiro. 

Tipos de poda:

 Poda de formação: Consiste na remoção de todos os ramos ladrões que surgem no tronco do cafeeiro. O objetivo é manter a planta, desde seus primeiros anos, com boa estrutura para suporte dos ramos de produção.

 Decote: É a poda que consiste na retirada da parte superior da copa do cafeeiro, considerada poda alta. É recomendada em plantas que ainda possuem os ramos inferiores, sem adensamento. Reduz altura de planta para facilitar colheita, corrigi deformações, estimula de brotações e retira a parte queimada por geada.

 Desponte: Consiste no corte das extremidades dos ramos plagiotrópicos na intenção de promover ramificação. É recomendada em lavoura que possui os ramos inferiores sadios (barra da saia), visando ramificação e renovação vegetativa.

 Esqueletamento: Conhecida também pelo Sistema Safra Zero e foi criado pelo Matiello. Consiste no corte na lateral do cafeeiro, deixando os ramos plagiotrópicos a um comprimento médio de 20 a 30 cm do ramo ortotrópico, com a finalidade de promover a abertura da lavoura. É recomendado para lavouras adensadas com a barra da saia sadia vegetativamente. Em um ano o cafeeiro vai crescer vegetativamente sem produção e no ano seguinte após o corte espera-se alta produtividade, afim de compensar o ano sem produção.

 Recepa: Esse tipo de poda é considerada drástica e aplicada em lavouras que perderam os ramos inferiores ou em cafeeiro muito depauperado, e também em lavoura que o plantio foi feito com espaçamento e estande de agrado ao cafeicultor. Corta-se em torno de 0,3 a 0,4 m de altura no ramo ortotrópico. Deve-se atentar ao número de hastes que vai manter após essa poda, eliminando excesso de brotação.

Quando o espaçamento e estande já não são mais de agrado, a recomendação é de um novo plantio, visando implantar a lavoura com um espaçamento adequado e melhorar o stand de plantas.

A época mais indicada é logo após a colheita, de preferência entre julho e agosto. Em regiões com riscos de geadas, devem ser realizadas após o período de maior ocorrência desse fenômeno. Além disso, a poda deve ser realizada após o ano de safra alta, quando a perspectiva é de baixa produção.

Galeria

Veja Também

Clientes