Plantio mecanizado do cafeeiro

21.01.2019 Autor: Guy Carvalho Fonte:
Levantamento planialtimétrico com projeto de alinhamento para plantio e outros detalhes do processo

O processo de plantio exige um preparo cuidadoso.  O primeiro passo é a escolha das mudas, que devem ter boa procedência e de preferência serem adquiridas de viveiros registrados pelo Ministério da Agricultura e IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária), pois eles seguem todas as normas e exigências. As mudas também devem ser sadias e vigorosas, além de possuírem um sistema radicular bem desenvolvido para que ocorra um rápido enraizamento. 


O plantio em si começa com o estudo do trabalho de alinhamento e distribuição espacial das mudas de café, o que é fundamental para a futura mecanização eficiente da lavoura, e deve ser feito por profissionais experientes e com auxílio de GPS e outros equipamentos de precisão seguindo os critérios agronômicos. O ideal é que se utilize um trator com piloto automático para fazer a abertura do sulco de acordo com o levantamento planialtimétrico e projeto de alinhamento para plantio para garantir o mínimo erro.


Em seguida, é importante aplicar os corretivos e fertilizando de acordo com a análise do solo e caprichar nessa base, pois é a única oportunidade de colocar em profundidade o fósforo, o cálcio, o enxofre e o magnésio. 


A subsolagem do sulco vem em seguida e tem como objetivo auxiliar na mistura dos fertilizantes com a terra, no aprofundamento e quebra com as paredes laterais do sulco. O próximo processo de preparação do solo é conhecido entre os cafeicultores como “bater o sulco”, que consiste no trabalho final de misturar os fertilizantes com a terra com equipamento adequado. 


Quando o plantio for manual, o uso da linha é fundamental para garantir a correta distribuição das plantas, evitando perdas na colheita mecânica.  Essa forma de plantio apresenta como vantagem a retirada do saquinho e a possibilidade de inserir fertilizando na coveta, o que favorece o desenvolvimento inicial das plantas.


Já o plantio mecanizado dispensa a marcação. A distribuição das plantas fica perfeita tanto na distancia quanto no alinhamento, o que permite mais eficiência na colheita. Outra vantagem em relação ao plantio manual é a praticidade e rapidez do processo, além de reduzir a mão de obra, o que impacta positivamente na diminuição dos custos.  O principal benefício da mecanização nessa fase é a exatidão e a precisão no alinhamento da lavoura.


Alguns pontos limitam o plantio mecanizado. Para que ele ocorra é necessário topografia mais plana e preparo do sulco feito com equipamento adequado. Além disso, como o plantio é feito com o saquinho, alguns cuidados devem ser tomados: 


  • As mudam devem ser de excelente qualidade;
  • Há necessidade de cortar o fundo do saquinho;
  • O substrato deve ter boa liga e ser bem compactado;
  • Dê preferência irrigar, evitando perdas por falta de chuva. 


“O plantio mecanizado favorece a operacionalidade das máquinas de colheita e aumenta a qualidade e o rendimento. Com uma adaptação, até lugares que eram consideração impróprios para a colheita mecanizada passaram a ser colhidos”, disse Alainton Marques de Souza, proprietário do Beneficiamento de Café Souza. 


Já falamos sobre a implantação desse processo em lavouras de café algumas vezes no Canal Papo de Cafeicultor, inclusive um de nossos vídeos mais visualizados (com mais de 54.000 visualizações) aborda esse assunto. Convido você a assisti-los:  

Plantio mecanizado de café - https://www.youtube.com/watch?v=zCbvHTxJLtQ&t=1s


Plantio mecanizado e manual visando a mecanização da colheita - https://www.youtube.com/watch?v=MVqd8TTrd3Y&t=136s


Implantação do cafeeiro - https://www.youtube.com/watch?v=Xna-Vb2_4bM 

Galeria

Veja Também

Clientes